Entenda a importância da inclusão do portador de deficiência física na empresa

Entenda a importância da inclusão do portador de deficiência física na empresa

Além de incentivar a inclusão, a iniciativa também é fundamental para garantir o cumprimento da legislação.

Artigos
05 de Outubro
0
comentários

Contratar um portador de deficiência física na empresa é um dever social de todo empreendimento que possui acima de 100 funcionários. Além de incentivar a inclusão, a iniciativa também é fundamental para garantir o cumprimento da legislação.

Com a lei, indivíduos que têm limitações físicas são estimulados a trabalharem em ambientes corporativos e crescer profissionalmente. Assim, além das vantagens para o próprio trabalhador, a companhia também é beneficiada com um convívio mais heterogêneo, que incentiva a diversidade e o respeito pelo próximo.

Porém, antes de iniciar o processo seletivo e a contratação, é necessário que a empresa realize algumas providências para tornar o ambiente mais acessível para o contratado.

Neste post, vamos explicar como funciona a lei de inclusão e quais são as medidas que a companhia deve implementar antes do recrutamento. Confira!

Entenda a lei de inclusão do portador de deficiência física

Antes de entender quais são os cuidados necessários com a contratação, é importante esclarecer um pouco sobre a lei que determina a inclusão de indivíduos portadores de deficiências físicas na empresa.

De acordo com a Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991 — também conhecida como a Lei das Cotas —, todas as companhias privadas com mais de 100 funcionários têm o dever de contratar pessoas portadoras de deficiências físicas. A legislação prevê que o número de cargos preenchidos por indivíduos com tais limitações seja entre 2% e 5% do quadro de colaboradores.

Algumas companhias brasileiras atendem à lei com projetos inclusivos, que vão além de simplesmente empregar indivíduos com deficiências. O objetivo é desenvolver as habilidades e competências desses profissionais, estimulando o crescimento na carreira.

Conheça os cuidados necessários na contratação de PCD

Ao recrutar pessoas com necessidades especiais é preciso que a empresa sofra uma série de adaptações antes e depois do momento da contratação. Abaixo, listamos os principais cuidados necessários na inclusão do portador de deficiência física na empresa.

Sensibilizar os funcionários

Antes de iniciar o processo seletivo é importante que a empresa realize atividades didáticas para sensibilizar os colaboradores que já trabalham na organização. Para isso, podem ser realizadas palestras e distribuição materiais — como flyers, panfletos e e-mails — informando sobre a inclusão dos novos funcionários e qual deve ser o tratamento ideal para indivíduos com limitações físicas.

É essencial que essas palestras sejam conduzidas por profissionais experientes na área, que possam contribuir positivamente com a conscientização dos funcionários. Afinal de contas, trata-se de um assunto delicado e qualquer falha de interpretação pode provocar desentendimentos na empresa.

Criar projetos de acessibilidade

Antes de realizar a contratação, certifique-se que a empresa pode atender devidamente os indivíduos com necessidades especiais. Isso inclui rampas de acesso a todos os ambientes, vagas de estacionamento para deficientes físicos, banheiros adaptados, entre outras adaptações.

Capacitar os novos funcionários

Depois da contratação, é importante que a empresa capacite os novos colaboradores e realize os treinamentos necessários para que eles possam executar suas atividades.

Para isso, podem ser oferecidos cursos específicos e orientação os funcionários que estão há mais tempo na empresa a acompanharem as tarefas dos novos trabalhadores nos primeiros dias de trabalho. O grande benefício é que, além de treinar o indivíduo adequadamente, essa ação também estimula a interação entre os funcionários.

Contratar um funcionário portador de deficiência física é essencial para garantir um ambiente mais sadio e humanizado dentro da empresa. Além disso, essa ação também garante que a companhia esteja dentro das conformidades da lei, evitando possíveis transtornos com a fiscalização.

 

Fonte: Guia Executivo

Enviar para um amigo