E você, é protagonista? O que te motiva?

Cada vez mais empresas buscam por treinamentos especializados para seu corpo de colaboradores, com o objetivo de aprimorar o atendimento ao cliente. 

Artigos
21 de Novembro
0
comentários

Por Renata Furlan

 

Cada vez mais empresas buscam por treinamentos especializados para seu corpo de colaboradores, com o objetivo de aprimorar o atendimento ao cliente. O grande desafio não é conquistar o cliente, mas engajar os colaboradores, fazer com que trabalhem juntos para entender, atender e, quem sabe, superar as expectativas do projeto vendido e deixar o cliente satisfeito. 

Mas, por que é necessário promover esse engajamento? Pesquisas revelam que o colaborador é um espelho, no qual o cliente externo vê refletida a imagem da empresa. Assim, é fundamental que a liderança esteja empenhada na construção de uma equipe de alta performance. 

Os colaboradores precisam ter a consciência do tipo de profissional e pessoa que estão se tornando e que essa transformação é decorrente de suas escolhas e decisões e não das condições do ambiente de trabalho. Então, até quando serão vítimas e reféns do ambiente? Continuarão a terceirizar a culpa? Repassarão os fracassos? O que falta para as pessoas assumirem o papel de protagonistas? 

É importante pontuar e alinhar comportamentos que não reflitam a cultura interna da companhia e sempre buscar por estímulos que contribuam para que os colaboradores deem o melhor de si. As pessoas precisam ser sinalizadas sobre o impacto negativo que a falta de compromisso e responsabilidade causam, já que refletem a imagem da empresa. 

Todo colaborador deve saber ou descobrir qual é sua motivação. Se a resposta for só dinheiro, isso não vai se sustentar. É fundamental que exista algo maior, um motivo e uma causa que o leve ao trabalho. 

Notamos em ações e projetos sociais a grande mobilização das pessoas em ajudar e atender os mais necessitados, sem ganhar nada, apenas com o objetivo de contribuir, mesmo que um pouquinho, para promover alegria e bem-estar. Qual será o segredo dessa motivação? O que as faz levantar da cama logo cedo para ajudar? 

Por conta de minha experiência, tenho contato com várias organizações e percebo que muitas áreas atuam como departamentos isolados, como se a responsabilidade se limitasse à sua baia. Esse comportamento, muitas vezes, causa uma impressão negativa ao cliente, que sente a desorganização, a falta de coesão e, principalmente, a falta de alinhamento e entrosamento da equipe. 

Alguns colaboradores se esquecem, ou mesmo nem têm conhecimento, que seu local de trabalho foi fundado a partir de um sonho que visava atender a uma necessidade humana. O lucro para a empresa é como o oxigênio para os seres humanos, necessário para a sobrevivência, mas não é a razão da vida de nenhum indivíduo, não é o único propósito. 

Em certos casos, é comum ouvir colaboradores dizendo “Eu fiz minha parte” ou “A responsabilidade não é da nossa área”. Funcionários que, muitas vezes sem intenção, não se responsabilizam pelo insucesso de um projeto e culpam outras áreas e pessoas. 

As organizações precisam de funcionários mais protagonistas ativos, de pessoas menos passivas, que questionem, inovem e assumam responsabilidades. Além disso, que tenham o perfil de refletir constantemente sobre o que podem fazer para ajudar nos processos, fluxos e projetos da empresa. Assim, o relacionamento torna-se melhor e, com mais proatividade, os colaboradores saberão o porquê de a empresa existir e trabalharão juntos por esse ideal. 

Portanto, buscar a sua causa e o seu propósito é fundamental para que se viva melhor. No âmbito profissional não é diferente, identificar o que te motiva o tornará mais entusiasmado e engajado com causas e pessoas. Apenas desta forma, conseguirá atender e entender o cliente e dar o melhor de si na empresa. 

E então, qual é a sua causa? O que te motiva?

 

Renata Furlan é consultora em uma empresa de treinamentos e consultoria especializada em desenvolvimento de líderes empresariais.

Enviar para um amigo