Siga estes 4 passos se quiser ser um líder à altura de Obama

Siga estes 4 passos se quiser ser um líder à altura de Obama

A Fundação Obama, liderada pelo ex-presidente dos EUA, tem conselhos valiosos para jovens que desejam ser líderes de impacto. Confira

Artigos
24 de Outubro
0
comentários

Logo que o ex-presidente americano Barack Obama deixou o cargo, divulgou planos para seus próximos passos. Um deles incluía a criação da Fundação Obama, uma espécie de “startup da cidadania” liderada por ele e por Michelle Obama.

Agora, a instituição começou atividades ligadas ao tema, reunindo jovens em workshops nos Estados Unidos. Nas primeiras reuniões presenciais, o foco é aprender como se tornar um líder de impacto.

Em um intensivo de um dia ministrado em Chicago, 150 jovens participaram de atividades voltadas para “criar a mudança positiva e concreta em suas comunidades”.

Afinal, como fazer isso e se tornar um líder de impacto, mesmo jovem? A Fundação Obama, junto a parceiros como as ONGs Narrative 4 e Facing History and Ourselves, resumiu quatro passos básicos.

1) Aprenda a contar a sua história

Pode parecer um detalhe, ou mesmo um passo simples e fácil. Mas não basta dizer a cidade de origem, idade e campo de atuação. Contar a sua história faz parte da produção de um bom essay para universidades, da apresentação em uma entrevista de emprego.

Também é essencial para que você entenda como um projeto social que desenvolve se insere na sua trajetória (ele tem a ver com seu lugar de origem, por exemplo), e para expressar isso da melhor forma aos outros. Não à toa, portanto, esse aspecto inicia os trabalhos em um workshop da Fundação Obama.

Vale separar fatos marcantes da sua trajetória em um papel, refletir sobre como cada decisão impactou a sua história e compartilhar com alguém que tipo de problema social atrai sua atenção. O processo exige autoconhecimento e ajuda a entender melhor qual o propósito de cada um — e o que leva um jovem a se tornar um líder de impacto em sua comunidade.  

2) Entenda como a cenário à sua volta tem a ver com a sua trajetória

Em outras palavras, depois de entender mais sobre si mesmo e aprender a como se apresentar aos outros, é a vez de refletir sobre o ambiente ao redor. Um bom exemplo para começar esse raciocínio tem a ver com o cenário mais imediato, como problemas do bairro de origem, questões sociais que impactam o jovem diretamente.

Também é a partir dessa reflexão que o jovem entende aspectos sociais e mais amplos envolvidos em situações cotidianas. Um sujeito pode entender, por exemplo, como pequenos detalhes do seu dia a dia repercutem o racismo — e a urgência de atuar sobre essa questão.

No caso do workshop da Fundação Obama, esse processo serve de base para a pergunta seguinte: como agir para solucionar esse problema?

3) Crie um plano de ação para se tornar um líder de impacto

Um dos parceiros da Fundação Obama, no evento em Chicago, é a organização não-governamental Mikva Challenge. Como um dos pilares da instituição, está o de “aprender fazendo”. A melhor forma de aprender sobre democracia, por exemplo, é engajar-se em atividades ligadas ao tema, como eleições ou advocacy sobre um assunto específico.

Com isso em mente, os jovens conseguem montar planos de ação para agir, diante de um problema já diagnosticado. O processo envolve reconhecer que fatores influenciam uma questão social, quais iniciativas poderiam endereçá-la e os passos essenciais para executar tais ações.

Um projeto social pode exigir que o jovem mobilize uma escola, ou que desenvolva melhor habilidades de falar em público. Essas ações devem ser levadas em conta na hora de propor um plano de ação.

4) Conheça organizações que já façam a mudança a nível local

É a hora de entender como outras pessoas trabalharam questões sociais e aprender com suas ações — e, claro, seus erros nessa trajetória. Aprender com quem já fez e continua fazendo a mudança social permite conhecer a fundo formas de atuação e entender o modelo de negócios sociais, além de servir como inspiração.

 

Fonte: Exame

Enviar para um amigo